segunda-feira, 21 de abril de 2014

Eleição para conselhos escolares será em 29 de maio



Os Conselhos Escolares passarão por processo de renovação da representação em 2014. As escolas que não realizaram eleição para os conselhos escolares nos anos de 2012 ou 2013, deverão fazê-lo no dia 29 de maio. O Conselho Escolar é composto por quatro segmentos: professores, funcionários, estudantes e pais e tem funções consultiva, deliberativa, executora e fiscalizadora nas questões pedagógicas, administrativas e financeiras.
O primeiro passo é a realização de assembleias por segmento para a escolha dos membros da Comissão Eleitoral. Após a indicação da comissão a escola deverá definir, em assembleia geral da comunidade escolar, a forma de eleição, que poderá ser uninominal ou através de chapa. O edital deve ser publicado com um mês de antecedência (28 de abril). Alunos a partir de 12 anos, ou que estejam no 5º ano do Ensino Fundamental, e pais de alunos menores de 18 anos, participam do processo eleitoral.
Sugestão de cronograma
14 a 22 de abril – Realização de quatro Assembleias (uma por segmento), para a eleição dos representantes para a Comissão Eleitoral da Escola.
23 e 24 de abril – Instalação da Comissão Eleitoral, realização da primeira reunião, eleição do Presidente e convocação da Assembleia Geral da comunidade.
25 e 26 de abril – Realização da Assembleia Geral da Comunidade, para decidir se a eleição será uninominal ou por chapas.
28 de abril – Elaboração e publicação (em locais visíveis) do Edital da Eleição e envio aos pais ou responsáveis de cópia do Edital.

domingo, 20 de abril de 2014

Ampliação dos recursos para cultura

No Rio Grande do Sul, as políticas públicas para a cultura são pensadas a partir de um conceito transversal, que entende a cultura como primordial para o desenvolvimento artístico, econômico e cidadão do estado.

Em menos de três anos, a Secretaria de Estado da Cultura captou cerca de 1.500% a mais em convênios com o governo federal que o governo anterior em quatro anos. Celebramos neste período mais de R$ 60 milhões em convênios com o Ministério da Cultura: construção do Museu da Música e da Sala Sinfônica da OSPA, Pontos de Cultura, Modernização de Bibliotecas, Criativa Birô, Memorial da Democracia e dos Direitos Humanos, Agentes de Leitura, Núcleo de Formação de Agente Cultura da Juventude Negra (NUFAC), Céu das Artes, Carnaval. Todos em andamento.

O volume de recursos operados pelo Sistema Pró-cultura RS cresceu enormemente e hoje o mecanismo não se baseia apenas na isenção fiscal e sim em investimentos inéditos no Fundo de Apoio à Cultura, forma de financiamento direto da produção cultural local através de editais inovadores. Como se não bastasse, a Fundação OSPA terá recursos próprios para a 4 º etapa da obra da construção de sua Sala Sinfônica na ordem de R$ 10 milhões. E a Casa de Cultura Mario Quintana passa atualmente por uma obra completa, com financiamento do Banrisul.

A importância estratégica que a Secretaria vem adquirindo com tal aporte de investimentos e resultados positivos já experimentados é grande, mas é importante lembrar que a Secretaria de Estado da Cultura ainda engloba, além do órgão central, com suas quatro diretorias, 32 órgãos vinculados, entre eles, seis institutos, nove museus, cinco bibliotecas, dois sistemas e sete outras instituições. Dentre estes, a ccmq e importantes museus como o Memorial do Rio Grande do Sul, o Museu de Artes do Rio Grande do Sul, o Museu Julio de Castilhos, o Museu Hipólito José da Costa e o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul.

Vamos aos dados.
PONTOS DE CULTURA

Arte, cultura e educação, que estimulam a criatividade, a diversidade e propiciam o exercício da cidadania através do reconhecimento da cultura produzida em cada localidade do Rio Grande do Sul.

Através de convênio de R$18,13 milhões com o Ministério da Cultura (por meio da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural), são potencializados 82 Pontos de Cultura e, ainda em 2013, serão selecionados mais 78, o que totaliza uma rede de 160 Pontos de Cultura.
MODERNIZAÇÃO DE BIBLIOTECAS

Projetos inéditos de modernização de espaços culturais dinâmicos de bibliotecas públicas municipais, assegurando organização de registros bibliográficos e democratizando o acesso ao livro, à leitura e à literatura para setores expressivos da comunidade gaúcha.

Através de convênio no valor de R$ 3,375 milhões com o Ministério da Cultura, entre 2011 e 2013, foram contempladas 110 bibliotecas públicas e, em 2013, serão selecionados mais 50 projetos, ou seja, 1/3 das bibliotecas públicas do Rio Grande do Sul modernizadas.
REVITALIZAÇÃO DA CCMQ

Além da intensa programação que ocupa o principal equipamento cultural do estado, a Casa de Cultura Mario Quintana está em obras.

São R$ 8 milhões financiados pelo Banrisul, em duas etapas.

1ª Fase: Restauração das fachadas, esquadrias e telhados

2ª Fase: Modernização – climatização, equipamentos de sonorização e iluminação cênica, acessibilidade (sinalização e conteúdos) e sinalética
OSPA

A construção do Museu da Música e da Sala Sinfônica da OSPA enche de orgulho a Secretaria de Estado da Cultura. As obras relativas às fundações já foram entregues, viabilizadas pela Lei Rouanet, através da Fundação Pablo Komlós, com um valor de R$ 5.335.380,00, envolvendo escavações, estacas e blocos de concreto armado.

A próxima etapa, cuja licitação está em curso (Concorrência no 069/2013), envolverá R$ 19.092.488,10 do MinC e R$ 6.064.154,13 do Governo do Estado, num total de R$ 25.156.642,23. Os serviços desta etapa são: supraestrutura, alvenarias, esquadrias, ferragens, fachadas, vidros, impermeabilizações, revestimento de paredes, instalações hidráulicas e sanitárias.
QUALIFICAÇÃO DE MUSEUS

Entre projetos de modernização, convênios com o Ministério da Cultura, restauros e aquisição de acervo foram investidos mais de R$ 4 milhões nos museus vinculados à Secretaria de Estado da Cultura.
Veja os beneficiados:
Museu da Comunicação Hipólito José da Costa
Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – MAC RS
Museu de Arte do Rio Grande do Sul – MARGS
Museu Estadual do Carvão
Museu Histórico Farroupilha
Museu Julio de Castilhos
Memorial do Rio Grande do Sul
SISTEMA PRÓ-CULTURA RS
Fundo de Apoio à Cultura – FAC

O maior investimento direto para estimular todos os setores e etapas que envolvem os processos criativos nas diversas regiões do estado. Em 2013, foram selecionados, através de sete editais, projetos que somam R$ 10 milhões. O Fundo já está na sua segunda rodada de editais, que garantirá mais um pacote de R$ 10 milhões. Os editais estão abertos em www.pro-cultura.rs.gov.br
Lei de Incentivo à Cultura

Outra prova do pleno funcionamento do Pró-Cultura RS é a liberação total do limite de recursos incentivados, que já soma mais de R$ 74 milhões em todas as regiões do Rio Grande do Sul. O investimento via incentivo fiscal já no segundo ano de governo bateu todos os resultados até hoje alcançados e seu pleno funcionamento faz com que parte do valor do patrocínio seja revertido em investimento ao Fundo de Apoio à Cultura. Um sistema sustentável que também foi inteiramente informatizado.

Por Assis Brasil
Sec. Est. Cultura RS

terça-feira, 15 de abril de 2014

Posse do Grêmio do Instituto de Educação "Juvenal Miller"


Na manhã desta terça-feira (15), aconteceu no auditório do I.E.E Juvenal Miller, a Cerimônia de Posse da nova diretoria do Grêmio Estudantil Juvenal Miller. 

A Assembleia Ordinária contou com cerca de 300 pessoas presentes, entre estudantes, autoridades e comunidade em geral. Prestigiaram a atividade a Coordenadora Regional de Educação da 18ª CRE, Profª Neila Silva e a Primeira Dama do Município do Rio Grande, Drª. Eunice Lindenmeyer e o Presidente do Grêmio Estudantil do IF-Sul.  Ex-alunas a Drª Eunice foi presidente do Grêmio e a Profª Neila ocupou a Secretaria de Imprensa por duas gestões.

Coube a Diretora da escola  Márcia Silvera a honra de passar, simbolicamente, o cargo de Presidente do Grêmio Estudantil para o aluno Glauber Nunes Pedroso. 

Após empossado, o Presidente eleito, Glauber Nunes, fez seu primeiro pronunciamento oficial, em que agradeceu a confiança depositada no trabalho de sua chapa, exaltou a construção da cidadania e da democracia desde a Educação Básica, e concluiu dizendo - "As conquistas que iremos alcançar daqui para frente serão fruto de um trabalho coletivo desenvolvido pela nova diretoria do G.E. Juvenal Miller, mas, sobretudo, pelas mãos de cada um de vocês."(referindo-se a comunidade estudantil). 


 Eleita no dia 31 de março deste ano, a chapa "Mudança em Ação" ganhou as eleições com 352 votos (55,43%). A cerimônia marcou o início da nova gestão, que tem duração de um ano.


No final da tarde desta quinta-feira (10) representantes do Grêmio Estudantil, Glauber Nunes (Presidente) e Lênin Langraf (Vice presidente), participaram da cerimônia de fechamento da arca do tempo. Um envelope contendo fotos da chapa foi posto na arca. Ela deverá ser aberta em 2029. Juvenal Miller 100 anos - Eu faço parte desta história! 

quinta-feira, 10 de abril de 2014

COASSI na formação de professores


A Comissão Organizadora da Ação Sustentável do Seminário Integrado (COASSI), representada pelos estudantes Bruno Soares Rios, Emanuelle de Leon Brazil e Matheus Medeiros de Oliveira apresentaram, na Formação dos Orientadores de Estudos do Pacto Nacional de Fortalecimento do Ensino Médio, o projeto socioambiental Ação Sustentável realizado no Ensino Médio Politécnico. 

Na oportunidade os estudantes demonstraram aos professores presentes todo o processo realizado para o desenvolvimento da Ação Sustentável e comentaram da importância da autonomia dos estudantes no momento de elaboração das práticas do Ensino Médio Politécnico na Escola Silva Gama.

Acompanhados das orientadoras da Escola Estadual de Ensino Médio Silva Gama, professoras Ana Ester Patron e Simone Ginar, além da estudante Ariella Ferreira (fotógrafa da COASSI) os estudantes ressaltaram alguns critérios essenciais para realização de projetos do porte da Ação Sustentável, como a disposição à mudança que foi sempre presente na Escola Silva Gama. 


Para concluir o grupo colocou sua percepção do processo de trabalho: “A escola está em movimento constante e o desafio é inovar permitindo que a busca pelo conhecimento seja sempre o centro desse processo.” Nesse momento refiriam- se da mobilidade dos estudantes e da permeação da pesquisa no Ensino Médio.


A Formação dos Orientadores do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio foi organizada entre as Coordenadorias Regionais da Educação 4ª (Caxias do Sul), 11ª (Osório) e 18ª (Rio Grande); FURG e escolas das regiões. A formação é uma política pública que tem por objetivo o compartilhamento de práticas educacionais realizadas no Ensino Médio, em especial a reestruturação do Ensino Médio Politécnico.



Após a apresentação, os representantes da COASSI cederam entrevista para a TV Mar e interagiram com os professores presentes na formação vindos de diversos municípios dessas três coordenadorias, bem como representantes da Secretaria de Estado da Educação presentes no evento.

FOTO: Ariella Ferreira /Divulgação COASSI

Texto da COASSI

sexta-feira, 28 de março de 2014

Projeto analisará itens de avaliações para uso pedagógico

 
Os itens das avaliações de larga escala da educação básica aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), como a Prova Brasil, serão analisados e os resultados disseminados para aplicação com objetivo pedagógico nas escolas. É o que prevê acordo de cooperação técnica assinado nesta quarta-feira, 26, entre o Inep, o movimento Todos Pela Educação e a Associação Brasileira de Avaliação Educacional (Abave). A iniciativa dá início ao Projeto Devolutivas Pedagógicas de Avaliações de Larga Escala da Educação Básica, que terá duração de um ano.

Ao Inep caberá a coordenação, supervisão e fiscalização dos objetivos do acordo. Além disso, o instituto deve fornecer os itens utilizados nas avaliações para análises que serão realizadas pelos parceiros do projeto. A proposta do acordo é que os itens sejam analisados e, posteriormente, franqueados à sociedade com a indicação dos conhecimentos que o estudante precisa ter adquirido para respondê-los corretamente.

 "O item contém informações preciosas sobre o aprendizado do aluno", explica o presidente do Inep, Chico Soares. "Devolver esta informação ao professor é algo que o sistema de avaliação precisa fazer, e o fará, por meio do Inep."
 
Entre os compromissos do Todos pela Educação está o apoio na organização de seminários e debates, para divulgar os resultados das pesquisas desenvolvidas. Já à Abave compete o apoio técnico.

O acordo foi assinado pelos representantes das três instituições durante a solenidade de posse da nova diretoria da Abave, que ocorreu no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira. O atual diretor presidente da associação, o matemático Ruben Klein, permanecerá no cargo por mais dois anos.

 Danilo Almeida
 Educação Básica

domingo, 16 de março de 2014

Projeto Olhares Sul-Rio-Grandenses na Formação continuada de Jovens e Adultos retoma atividades em 2014


Na noite desta sexta-feira (14) realizou-se mais uma atividade do Projeto de Formação Continuada Olhares Sul-Rio-Grandenses na Formação Continuada de Jovens a Adultos. Visando a retomada das atividades o encontro contou com a presença do Pro-reitor de Assuntos Estudantis e Coordenador Geral do Projeto Prof. Dr. Vilmar Pereira, Pro-reitora de Extensão Profª. Drª. Angelica Miranda, Coordenadora da formação continuada na FURG – PROEXT, Profª Drª Sabrina Barreto, Coordenadora da 18ª CRE Profª Esp. Neila Silva, Superintendente Pedagógica da SMEd Profª Msc. Juliane Alves e mais de 200 professores atuantes na EJA.

O projeto é desenvolvido no âmbito do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica, voltadas a EJA na Diversidade e Inclusão Social, dentro da SECADI se propõe a discutir e apresentar uma proposta concreta de Formação Continuada aos Educadores e Educadoras da EJA, oferecendo um curso com seis turmas de formação com Educadores (as) através da demanda e da parceria com a 18ª CRE e da SMEd. 

Assim a proposta de formação envolve educadores da Educação Básica de Escolas situadas nos municípios de São José do Norte, Rio Grande, Santa Vitória e Chuí. Trata-se de uma solicitação que vinha sendo feita pelas duas instituições públicas. Os fundamentos teóricos metodológicos do curso visam proporcionar aos cursistas o acesso às teorias do conhecimento que subsidiam a compreensão da realidade do educandos da EJA, que contemple suas experiências, vivências e memórias e que oportunize a partilha das práticas docentes. Imerso em uma concepção de educação baseada no exercício do diálogo, em um processo de construção contínua da cidadania, considerando a diversidade, a educação inclusiva, a relação intergeracional, dentre outras. 

A atividade contou com uma breve explanação sobre o Projeto de Formação Continuada, atividades realizadas em 2013, metas para 2014, relato da educanda egressa da EJA Denise Miranda e finalizando com o relato da educadora Rosane Rodrigues discorrendo sobre a importância do trabalho desenvolvido na EJA. De acordo com o coordenador do projeto “ações como essas reforçam a possibilidade concreta de trabalharmos de forma articulada e em parceria aproximando ainda mais três grandes esferas públicas comprometidas com a educação crítica e emancipadora - FURG/18ªCRE/SMEd”. A equipe que integra o referido projeto agradece a todos pela presença e pelo envolvimento com a proposta.

Texto: Sícero Miranda e Flávia Gonzales.

domingo, 9 de março de 2014

Vacinação contra o HPV traz esperança e questionamentos em torno da prevenção do câncer de colo do útero

O Ministério da Saúde dará início a uma campanha nacional de vacinação contra o HPV na próxima segunda-feira, 10 de março. Serão imunizadas meninas de 11 a 13 anos. Tire suas dúvidas sobre a vacina e sobre o HPV.


O VÍRUS

O que significa HPV?
É a sigla em inglês para Papilomavírus Humano, vírus responsável pela doença sexualmente transmitida mais comum no mundo, causando tumores benignos e malignos. Existem mais de 100 tipos de HPV, sendo que 16 têm potencial para causar câncer.

Qual a incidência?
Estima-se que mais de 70% das mulheres entrarão em contato com o HPV ao longo da vida.

Quem tem HPV terá câncer?
A maioria não. A infecção pelo HPV é muito frequente, mas costuma ser transitória. Entre 60% e 70% dos casos das pessoas contaminadas eliminam o vírus espontaneamente.

A VACINA

A vacina protege contra todos os tipos de HPV?
Não. Protege contra quatro tipos, dois capazes de provocar câncer e dois relacionados ao aparecimento de verrugas. Os tipos 16 e 18, cobertos pela vacina, estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero.

Por que o Ministério da Saúde estabeleceu a faixa etária de 11 a 13 anos para a vacinação?
O ideal é que a vacina seja aplicada antes do início da vida sexual. Nas meninas não expostas aos tipos de HPV 6, 11, 16 e 18, segundo o Ministério da Saúde, a vacina tem eficácia de 98,8%.

Como será a implantação da vacina?
Neste ano, a população alvo da vacinação contra HPV serão adolescentes do sexo feminino na faixa de 11 a 13 anos. Em 2015, serão vacinadas as adolescentes na faixa etária de nove a 11 anos e, a partir de 2016, as de nove anos de idade. Cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção, sendo a segunda seis meses depois da primeira, e a terceira, cinco anos após a primeira dose.

Como a vacina é administrada?
Por injeção intramuscular — injeção de apenas 0,5 mL em cada dose.

Quem faz a vacina pode deixar de fazer o Papanicolau?
Não. A vacinação é uma ferramenta de prevenção primária e não substitui o rastreamento do câncer de colo do útero em mulheres na faixa etária entre 25 e 64 anos. É importante manter a realização do exame preventivo (Papanicolau), pois as vacinas protegem apenas contra dois tipos de HPV que provocam câncer, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo do útero.

Mesmo vacinada, será necessário utilizar preservativo durante a relação sexual?
Sim, pois é imprescindível manter a prevenção contra outras doenças transmitidas por via sexual, como HIV, sífilis, hepatite B, etc.

A camisinha é suficiente para proteger contra o HPV?
Nem sempre, porque o HPV pode estar alojado em regiões em que a camisinha não alcança, como o saco escrotal e a região anal.

A vacina contra HPV pode ser administrada ao mesmo tempo com outra vacina?
A vacina HPV pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, sem interferências na resposta de anticorpos a qualquer uma das vacinas. Quando a vacinação simultânea for necessária, devem ser utilizadas agulhas, seringas e regiões anatômicas distintas.

NÚMEROS

5,2 milhões
é o número da população feminina de 11 a 13 anos estimado pelo Ministério da Saúde como público-alvo da campanha de vacinação no Brasil

258 mil
é o número de meninas alvo da vacina no Rio Grande do Sul

80%
é a meta de vacinação esperada para 2014


é o lugar ocupado pelo câncer de colo de útero entre a população feminina do país, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/vida/noticia/2014/03/tire-suas-duvidas-sobre-a-campanha-de-vacinacao-contra-o-hpv-4437415.html

Fontes: Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia das Doenças Associadas ao Papilomavírus, Secretaria Estadual da Saúde, professor de medicina da UFRGS Paulo Naud.